Cruzeiro perde para o CSA e se complica na briga contra o rebaixamento do Brasileiro

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Foto: Bruno Haddad

A cada rodada que passa, o Cruzeiro se aproxima de um inédito rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro. Um largo passo em direção ao abismo foi dado na noite desta quinta-feira, no complemento da 35ª rodada.

Com direito a pênalti desperdiçado pelo meia Thiago Neves, aos 19 minutos do segundo tempo, o time celeste perdeu de maneira surpreendente para o CSA, por 1 a 0, no Mineirão. O zagueiro Alan Costa, aos 42 minutos do primeiro tempo, marcou o gol da surpreendente vitória da equipe alagoana.

O Cruzeiro tinha mais volume, com 77% de posse, mas esbarrava na falta de criatividade. Defensores e meio-campistas trocavam passes de um lado para o outro até chegarem ao último terço de campo. A partir dali, a inspiração cessava. Egídio, Pedro Rocha, Orejuela e Ezequiel insistiam em cruzamentos para Fred. Bem postada, a defesa do CSA cortava todos.

Aos 11, Fred girou em cima de Alan Costa, porém ficou sem ângulo e fez o passe nas mãos do goleiro Jordi. Aos 18, Thiago Neves chutou fraquinho, no centro da meta, e o camisa 12 do CSA encaixou. Aos 35, a Raposa conseguiu sua única boa jogada na etapa inicial. Pedro Rocha tabelou com Thiago Neves e Fred, invadiu a grande área e finalizou ao lado esquerdo.

No intervalo, o técnico Abel Braga substituiu Éderson e Fred por Robinho e Joel. A tônica do segundo tempo foi semelhante à do primeiro, com posse de bola constante no ataque e ligeira melhora. Logo no primeiro minuto, em bola espirrada na entrada da área, Ezequiel soltou a bomba e obrigou o goleiro Jordi a se esticar para defender. Aos 11, Thiago Neves tentou buscar o ângulo em cobrança de falta, e Jordi espalmou à linha de fundo.

Aos 15 minutos, Pedro Rocha invadiu a grande área em velocidade e foi ao chão após contato com o zagueiro Alan Costa. Após consulta ao VAR, o árbitro Vinícius Gonçalves Dias Araújo marcou pênalti. Um dos mais cobrados pelos torcedores, Thiago Neves se encarregou da cobrança. Mas a fase é tão ruim que a finalização foi para fora. Os torcedores, claro, não perdoaram o camisa 10 e o vaiaram bastante no Mineirão.

No lance seguinte ao pênalti, o CSA por pouco não marcou o segundo gol. Rafinha cobrou falta de longe, a bola passou por todo mundo e explodiu na trave direita. O técnico Abel Braga tentou sua última carta na manga com Sassá no lugar de Ezequiel. Aos 27, ele recebeu bola na grande área, girou em cima da marcação e bateu em cima de Jordi. O goleiro da equipe visitante também evitou as tentativas de Robinho e Pedro Rocha.

Fechar Menu

Escolha um time

Arraste ou navegue entre os pontos para ver mais times